Primeiro Dia Sem Ele

Acordei me sentindo minimamente melhor que ontem, já que agora, pelo menos, possuo um desfecho decente depois que conversamos. É como se eu estivesse vivendo um luto. Você se força a conviver com o fim, ainda que esteja inconformada por dentro. Se bem que não é propriamente um fim. Ele pediu um tempo para pensar o que fará da sua vida, a respeito do seu casamento – que está desmoronando – mas, sabemos que um tempo, pode tanto resultar em um reencontro – ainda mais ardente – no futuro, quanto em um afastamento definitivo.

A ausência dele tem sugado a minha energia constantemente. Fico sem vontade de fazer as minhas coisas rotineiras, pensando que agora não tenho mais com quem compartilhar os assuntos. Ele sempre se mostrava tão interessado nas coisas que eu fazia. Suas mensagens frequentes eram uma companhia que somente agora percebo o quanto me fazem falta. É inevitável não ficar entrando na nossa conversa, reler as últimas palavras e olhar quando foi a última vez que ele entrou. Coração sempre dispara quando ele também está online.

Estou há dois dias ouvindo as mesmas músicas. Quatro músicas que descobri nesse final de semana e que agora compõem uma playlist, criada por mim, chamada: “news”, mas que poderia ser intitulada como “fossa”. Vez ou outra me pego com os olhos marejados, isso quando não estou chorando descontroladamente, como se alguém tivesse me batido. Os áudios favoritados, os vídeos compartilhados, são tudo uma grande munição para o sofrimento. Ouvir a sua voz, ver a sua imagem se movimentando, causam uma tristeza tremenda. Fico querendo voltar para aquele momento, quando estava tudo bem e tínhamos um ao outro.

Se ele vai voltar com a esposa, isso ainda é um mistério. Apesar de eu temer que sim, que vai preferir regressar a sua vidinha cômoda e segura de sempre. Posso estar sendo um pouco egoísta, mas, não queria que ele voltasse. Ainda que fosse pelos filhos. O que aconteceu, a maneira como ela descobriu sobre nós (que foi mesmo muito besta), ao meu ver, foi um empurrãzinho do universo para que ele aproveitasse o momento e rompesse logo. Sempre reclamou. Não faz sentido tentar consertar algo que já estava ruim e que agora ficou pior. Traição num relacionamento deixa cicatrizes horríveis. Ela sempre lhe apontará o dedo. E não digo isso porque o quero para mim, mas é como as coisas são. Ainda que não fiquemos juntos.

Os filhos crescem e vão entender. Quantos casais se separam hoje em dia, independente dos filhos, e ainda assim os mesmos crescem sem traumas? Eu sou uma delas. Minha mãe se divorciou duas vezes no decorrer da minha infância, sendo o último quando eu tinha dez anos. Desde então não tive mais uma figura paterna e sou uma pessoa ótima (não me julguem por ficar com homem casado). Talvez com uma queda por homens mais velhos, mas, ainda assim, nenhum que poderia ser meu pai.

Quanto tempo será que ficarei sem notícias dele? Quanto tempo será que ficarei sem ele? Será que um dia voltaremos a nos ver? Eu sei que ele tem um forte carinho por mim, assim como eu tenho por ele. É o que me consola nesses momentos de solidão. Ele gosta de mim. Só não sei se o que ele sente será o suficiente para lhe impulsionar agora.

Apesar do meu sofrimento, reconheço que não devo estar sofrendo mais que a sua mulher. Ela é a vítima principal nisso tudo. Mas, o que posso dizer? Gosto demais dele, sei que o que ele fez não foi certo e não gostaria que um dia também fizesse comigo. Contudo, ele é humano, passível de erros. Sempre se referia a ela com muito respeito e quando nos conhecemos, não imaginávamos que rolaria toda a química, sintonia e afinidades que rolou, simplesmente aconteceu. Sua própria consciência já está o castigando agora e todos nós, sem exceção, saímos machucados desta situação.

Ela – a traída – apunhalada pelas costas.

Ele – o traidor – que não agiu com intenções de fazê-la sofrer.

E eu, conhecida como destruidora de lares, alguém que caiu de pára-quedas no meio disso tudo, que estava apenas vivendo um amor proibido, mas que foi levado embora, sem que eu pudesse fazer nada para impedir.

Carta da Amante

Aqui estou eu. Numa agonia eterna, pois ainda falta algumas horas para conversarmos. Algumas horas até poderia parecer pouco, se não fizesse um dia inteiro que não nos falamos, coisa que nunca aconteceu desde que nos conhecemos. Claro que no começo nos falávamos menos, mas, agora nos falamos praticamente a cada hora e ficar um dia inteiro sem falar com você tem sido devastador. Será que esse é o momento em que percebo que talvez eu goste de você mais do que eu mensurava?

Você acredita que até pesquisei no Google sobre como saber se você está amando uma pessoa? Pois é, fiquei refletindo se o que estou sentindo poderia ser amor. Uma amiga disse que só por eu ter pesquisado isso, poderia ser definido como tal.

Há um dia que a bomba estourou dentro da sua casa e desde então não temos mais nos falado. Será que esse será o nosso fim? O fim dos encontros às escondidas, das transas ardentes e das nossas confidências? Como eu queria ter sido uma mosquinha para assistir a esse momento em que conversaram. Será que você contou toda a verdade sobre nós? Será que omitiu algumas coisas? Ou será que simplesmente desprezou a minha importância?

Assim como você, eu não queria que ela tivesse descoberto desse jeito. Não está sendo bom para ninguém, muito menos para mim. A amante é odiada pela sociedade, mas, mal sabem que também somos as vítimas. Não dá para escolher por quem se apaixona e não ser a principal, também é um castigo. Não será conosco que eles estarão nas datas especiais. Não é conosco que eles dormem todos os dias. Como também não será por nós que eles estarão acompanhados em eventos importantes. Dominamos os momentos de prazer, que são eletrizantes, mas não é só disso que sobrevive uma amante. Também somos mulheres e toda mulher tem sentimentos, seja casada, solteira ou cobiçando o homem da outra.

Mas erradas não somos nós. E sim eles. Eles que possuem compromisso com outra e ainda assim se envolvem com a gente. Eles que sempre reclamam do seu casamento, mas que nada fazem para mudar.

Como eu gostaria que você aproveitasse esse gatilho para fazer o que sempre me disse que gostaria de poder fazer. Mas você não vai. Pois é mais cômodo continuar com ela. Ela te deu algo que ainda não tive a oportunidade de lhe dar e por essa razão o laço de vocês é tão forte.

Anseio demais pela nossa conversa que ocorrerá amanhã. Estou curiosa para saber se esse será o nosso fim. Saber se você decidiu investir no seu casamento, uma vez que quase tudo se perdeu, ou se continuará se aventurando comigo como costumávamos fazer. Será que os nossos momentos juntos não serão o suficientes para que você não abra mão de nós? E o que será que você contou de mim para ela, agora que ela descobriu a minha existência? Ahh… quantas perguntas eu tenho para lhe fazer…

Mais do que isso, como será gostoso poder ouvir a sua voz, após um dia inteiro de silêncio. Será que continuará carinhoso ao me contar os detalhes do ocorrido? Ou ríspido por querer demonstrar que o que temos já não lhe importa mais?

Se você decidir me largar para focar no que é considerado certo, confesso que não sei como ficarei, muito mal provavelmente. Aprendi a gostar de você, a apreciar as demasiadas mensagens, mesmo quando você só me interessava sexualmente. Me aconcheguei na sua afeição e agora será muito cruel ter que me desvencilhar dela.

Daqui a algumas horas saberei a verdade. O tarô não está favorável, mas, entendo que você está passando por um momento mais difícil que o meu. Afinal, é mais impactante para a família, do que para a amante. Eu sou uma pessoa só, com a família são muitos envolvidos.

Espero que você faça a escolha certa, baseado no que você também quer e não só pensando nos que serão afetados. Não se pode viver uma vida infeliz apenas em função de obrigações. Você também é humano e tem sentimentos. E eu tenho fortes sentimentos por você. Mais do que imaginava. A sua ausência tem impactado bastante na minha rotina.

Se você continuar com ela, imagino que muita coisa irá mudar. Você não poderá mais se fazer tão presente por mensagens. Não poderá mais vir me ver com a mesma frequência de antes (que já não era muita) e essa mudança será um tanto significativa para mim, que, desde o princípio, sempre o tive pela metade.

Não é fácil gostar de homem casado. Mas poxa vida, eles são tão sedutores! Te fazem sentir mais especial que a oficial, te fazem acreditar que o que vocês têm é mágico e verdadeiro e quando a bomba estoura, somos as últimas a saberem das decisões e as primeiras a serem descartadas.

Gosto de você. Quero você pra mim, mas não é o tipo de coisa que lutarei para ter. Não tenho esse direito. Você pertence à ela, ainda que nos nossos momentos de intimidade diga que é somente meu. Que ironia da vida, tudo que eu não sinto agora é alguma posse sobre você. Pois, se fosse, eu não estaria nessa agonia. Você foi meu somente naquele momento em que estava dentro de mim. Fora dali, é totalmente dela, daquele jeitinho lindo que disseram no altar um para o outro. Como era mesmo? Ah sim… até que a morte os separe.

Homem Casado

Ele é casado. Sim, ele é e não me orgulho nada disso. Logo eu, que sempre julguei as mulheres que se envolviam com este tipo de homem. Agora estou aqui, pagando a minha língua.

Não é que eu deseje que ele largue a esposa para ficar comigo, não, não quero esse título de destruidora de lares. Mas, é ele mesmo que lamenta as coisas não irem bem no seu casamento, fazendo com que eu pense que a separação seria no mínimo um favor que ele faria em prol dos dois.

Além de casado, ele também é pai. Pois é, dois meninos pequenos. O que torna tudo ainda mais difícil. Dizem que filho não segura casamento, mas no caso dele está segurando. Ele diz que a vida ao lado dela é muito complicada e que é uma mulher agressiva. O que me deixa ainda mais confusa. Se a vida ao lado dela é tão ruim assim, por que não se separa logo? Filhos? Bens? Ora, só não vejo solução para a morte.

Veja bem. Eu não exijo isso dele, sequer sugeri em algum momento. Ele que sempre se justifica, por, apesar de tantas insatisfações, não ter dado um jeito na sua vida ainda. Não é algo que anseio vê-lo fazer, mas, não tem como não pensar que suas ações não condizem com suas palavras. Se ele diz estar tão apaixonado por mim, se realmente sou a melhor transa da vida dele, se quer mesmo poder ser meu namorado um dia, enfim… se sou tão incrível assim, por que continua com ela? Por que não toma uma atitude? Será que os motivos citados por ele, realmente são tão relevantes mediante à tanto sentimento e paixão?

Confesso que, gosto da minha liberdade e aprecio a nossa relação por ser justamente como é. Nos vemos uma vez por semana ou a cada quinze dias – sempre que ele vem para São Paulo – e é gostoso viver as nossas aventuras sexuais com gostinho de quero mais sempre que terminam. Contudo, não tem como não ficar bolada, ao ler uma mensagem dele contando o que fará com a esposa naquela noite, pensando que poderia ser eu ao seu lado nesses eventos.

O que é ridículo. Eu sou a errada. Eu sou a outra. Não tenho que me sentir incomodada por a esposa, a oficial, a mulher que chegou primeiro na vida dele e que inclusive é a mãe dos seus filhos, ter mais direitos e privilégios do que eu. Não possuo nenhum vínculo com ele, além de mensagens trocadas em um telefone celular. Pois é, trocamos mensagens todo dia. Como um legítimo casal de namorados. O que faz parecer real tudo que ele diz sentir por mim, ainda que esteja a quilômetros de distância, vivendo com outra pessoa.

Nossas transas? São espetaculares. Transamos sem camisinha e permito que ele goze dentro. Sim, eu tomo contraceptivo e longe de mim querer dar o golpe do baú. Até porquê esse golpe só deve dar certo com homem solteiro. Com homem casado seria muito sofrimento. Meu filho seria bastardo, eu, mãe solteira, e ainda correria o risco dele desaparecer da minha vida, me deixando completamente desamparada. Fora os meus sonhos e objetivos que evaporariam. Não. Definitivamente eu não quero ter um filho dele.

Ele diz que não transa com a esposa. O que até dá para acreditar, após mais de dez anos de casamento, julgando até mesmo por toda a sua sede quando está comigo. O que me deixa ainda mais inconformada por ele continuar casado. Como que uma pessoa se permite continuar num relacionamento que nem existe mais tesão? Não faz sentido isso para mim. Ainda que um relacionamento não seja só sexo, o sexo continua sendo 50% numa relação.

Ele sempre reforça que não sou apenas um divertimento e que o futuro a Deus pertence, o que às vezes me soa como o conto do vigário. Devo ser justa que ele nunca me prometeu nada. Mas também nunca disse que ficarmos juntos no futuro é uma coisa impossível. Pelo contrário, ele deixa a possibilidade em aberto e eu só fico pensando: “Quanto tempo mais isso vai durar? Por quanto tempo mais saberei lidar com essa situação?” Se é que estou sabendo lidar.

Homem casado é mesmo um perigo. Eles são muito envolventes. Passaram pela tarefa de conquistarem suas esposas e com isso conseguem conquistar qualquer mulher, uma vez que se tornaram experts no assunto. São sedutores com as palavras, sedutores com as mãos e professores na cama. Quando você vê já está completamente envolvida e viciada. E até onde vale levar essa relação? É uma aventura gostosa? É. O proibido que torna tudo mais gostoso? Sim. Mas até onde é possível lidar com o fato de que nas datas mais importantes, como Natal, Ano Novo e Aniversários, ele não estará com você, mas, sim com a família?

Liberdade

Só quem de fato conhece essa sensação sabe como é fantástica.

Independente de qual âmbito estejamos falando.

Seja amoroso, profissional, acadêmico, financeiro… tanto faz.

Ser livre para conduzir a sua vida da maneira que mais te faz feliz, de fato, não tem preço.

Quantas vezes você não sentiu vontade de chorar, por estar seguindo um caminho que lá no fundo não era o que você queria ou não te fazia feliz?

Quem nunca passou por isso?

Sim eu sei, Infelizmente não são todos que podem dar esse passo em suas vidas.

Poder abrir mão daquilo que não lhe faz bem é um desafio e tanto, requer muita coragem.

Às vezes precisamos daquele trabalho;

Às vezes são muitos anos de relacionamento;

Ou então, existe uma certa cobrança em relação aquela área de estudo que você está estudando.

Mas imagine, por um minuto, quão maravilhoso seria e como você se tornaria absurdamente mais feliz, se abandonasse todas essas coisas que não te fazem bem para seguir o que de fato você quer.

Por que nos preocupamos tanto com a opinião alheia, quando não são as pessoas de fora que sentem o que sentimos por dentro?

Dane-se aquele emprego que até te paga bem, mas que não te completa e não te motiva a levantar cedo todo dia;

Dane-se aquele relacionamento de anos, que a família inteira aprova, se entre quatro paredes sequer ainda existe tesão;

Dane-se aquele curso que você precisa estudar, se não é o que faz seus olhos brilharem.

Quando que as pessoas se darão conta que a vida é uma só?!

Que não adianta fazer o que é considerado certo o tempo inteiro, se por dentro você não está feliz.

Ser livre para fazer o que gosta, também deveria ser considerado uma necessidade fisiológica.

Carta para o Ex

Oi. Tudo bem?

Sabia que faz um ano e cinco meses que estamos separados? Na verdade, eu nem sei quanto tempo faz exatamente, pois sequer guardei a data do rompimento.

Só sei que não soube mais nada sobre você desde então, nem se está vivo, o que anda fazendo, nada. Absolutamente nada. Como se você sequer tivesse existido na minha vida.

Você foi o meu primeiro. Primeiro homem, primeiro namorado, minha primeira referência de relacionamento. Afinal, ficamos um terço da nossa vida juntos. 8 anos. Tempo de um casamento. Mas nosso namoro estava longe de ser um casamento, mais longe ainda de ser um namoro.

Eu encontrei um novo alguém sabia? Pergunto “sabia” porque você me vigiava, então não sei se ainda o faz e se tá por dentro da minha vida. Mas enfim, estou namorando. E diferente do que você dizia, que eu arrumaria alguém em uma semana, eu levei um ano para isso. Bastante tempo na minha opinião.

Mas o fato é que está sendo muito diferente para mim. É impressionante e chega a ser realmente assustador a maneira como vocês são diferentes. Ele diz que se eu não tiver afim de transar com ele hoje, tudo bem, que não vai deixar de me amar por isso. Ao invés de ficar de cara feia até conseguir o que quer. Como você costumava fazer. E lembra quando você dizia que homem que faz todas as vontades de uma mulher é trouxa? Bem… ele faz todas as minhas e não o vejo dessa maneira. O vejo como ele realmente é, um príncipe, um cavalheiro.

Lembra quando você dizia, que se tivesse um carro, jamais me buscaria ou levaria nos lugares, por não ser o meu motorista? Bem… ele já me provou não se importar muito com isso, contanto que eu esteja sempre segura e confortável. E lembra quando você sequer falava em casamento? Bem… em quatro meses de namoro, ele não para de repetir que não vê a hora de poder casar comigo e passar o resto da vida ao meu lado. E o principal: lembra quando você dizia que não gostava de crianças e que não queria ter filhos? Bem… ele já tem duas e, mesmo tendo feito vasectomia, quer ter outro comigo.

Ele é um ano mais velho que você, sabia? Na verdade, eu sequer lembro exatamente a sua idade. Mas o fato é que vocês são da mesma geração e caramba… é mesmo impressionante e assustador como ele é diferente de você.

Eu gosto da pessoa que eu sou quando estou com ele. Não fico com medo de fazer piadas e ser eu mesma, pensando que ele vai me achar uma tonta por tais atitudes. Nós rimos juntos. De tudo. De tudo mesmo. Porque ao contrário de você, ele não é uma pessoa amarga, com ar de superioridade. Ele é alegre, pra cima, energia boa e nunca reclama da vida. Ainda que ela não esteja do jeito que a gente queira, ainda que ele tenha menos dinheiro que você. Pois é, taí outra coisa que me surpreende nele. Mesmo sem uma incrível condição financeira, sempre que pode paga a conta sozinho, com gosto e não me olhando feio como se aquilo tivesse que ser divido.

Um dia ele comprou um cachorro quente para nós e na hora de pagar me ofereci para pagar junto com ele. E Sabe o que ele respondeu? “Se eu não puder pagar nem um cachorro quente pra você, isso será muito triste”. E sabe o que você teria feito no lugar dele? Teria aceitado.

Dizem que as mulheres não gostam dos bonzinhos, que preferem os homens que as fazem sofrer. Já eu discordo. Porque ele é gentil, amoroso, me trata como uma princesa e não consigo enjoar, pelo contrário, me apaixono cada dia mais. Tudo bem que o fato dele ser lindo e gostoso colabora, mas quanta mulher já não traiu o marido bonitão por um horroroso? E eu não me vejo o traindo e digo com toda segurança que também não tenho medo de ser traída.

Isso porque é tanto amor entre nós dois, que não vejo como isso poderá mudar um dia. Todo mundo diz que início de namoro é assim mesmo, mas eu já namorei antes, com você inclusive, e está sendo maravilhosamente melhor e diferente. Nem no começo do nosso namoro eu não tive com você o que tenho com ele. É mágico. Estamos seriamente convictos de que somos almas gêmeas.

Eu não tinha essa sensação com você. Muitas vezes eu preferia a companhia dos meus amigos à sua. Com ele é como se eu tivesse tudo numa pessoa só. O amigo, o amante, o companheiro, aquele para todas as horas.

Mas saiba que, eu não guardo rancor por você. Afinal, também fui sua primeira namorada e é vivendo que se aprende. Desejo do fundo do meu coração, que você encontre alguém incrível, assim como eu encontrei. Alguém que te faça perceber que o nosso namoro deveria ter chegado ao fim há muito tempo. Alguém que te mostre que a vida pode ser mais. Alguém que se encaixe em você de uma maneira que eu não fui capaz de encaixar. E espero que quando isso acontecer, possamos ser amigos, pois a vida é um aprendizado e tivemos a nossa cota de lição juntos.

Mundo Moderno

As pessoas não tem mais tempo para relacionamento. É tudo trabalho, estudo e compromissos pessoais. Às vezes elas têm tempo para sexo, mas aquele sexo frio, sem nenhuma mensagem depois.

No começo foi difícil me adaptar a essa nova modalidade. Após viver um relacionamento de tantos anos, a cada transa casual era como se eu encontrasse um novo candidato ao posto de namorado. Tudo uma grande farsa. A pessoa se mostra a mais incrível e compatível possível, mas só naquele momento mesmo. Depois que cada um vai para o seu lado, esquece completamente da sua existência. Não estou acostumada com essa nova forma de relacionamento. Nem com a possibilidade de repetir depois, o tratamento não é diferenciado.

Sexo casual é uma delícia, não podemos negar. Mas toda a frieza do pós é mesmo necessária? Por acaso o outro acha que você vai morrer de amores se trocarem mensagens depois? Confesso que mesmo com a ausência disso, já fico imaginando um futuro amoroso. É isso que dá após um relacionamento tão duradouro. Desaprendi a arte da conquista. A última vez que estive solteira ainda era virgem. Hoje já não consigo não transar no primeiro encontro.

Será que é isso que está me sabotando? O machismo que beira o ridículo? O cara quer aquilo rápido, mas se o tem, perde o interesse logo em seguida. Sabe… queria ter um coração frio e desligado igual ao dos homens. Deve ser por isso que os gays têm se dado tão bem. Homens se entendem como ninguém.

Sonho Estranho

Hoje eu sonhei que meu ex me dispensava, por uma menina de 15 anos (eu tenho 27). Eu fiquei tão arrasada e chorei tanto no sonho, que nem parecia que na vida real quem o dispensara foi eu. 😅

Gostaria de entender esse tipo de sonho. Por que sonhamos com algo retroativo de um jeito completamente diferente do que aconteceu na realidade? Meu namoro nem estava lá essas coisas quando terminamos (isso o sonho foi fidedigno) e meu sofrimento foi tanto como se fôssemos um casal feliz e perfeito antes do término.
 

Gostaria de ser capaz de entender os mistérios da nossa mente. Para eu ter esse tipo de sonho, do nada, meu subconsciente está querendo me dizer alguma coisa. Mas o quê? Estou há um ano solteira, sem nunca mais ter trocado uma palavra sequer com o meu ex (nem sentir falta disso) e de repente sonho com ele. Estranho não? 🤔

E no sonho, me largava para ficar com uma adolescente de família abastada. Ele vestia um terno azul, se tornaria advogado (muito diferente da sua real formação) e eu sentia a derrota de ser trocada por uma mulher mais nova. De repente parecia que eu tinha 50 e era largada por uma de 27, quando eu ainda tinha 27.
 
Os sonhos são sinistros. Nos fazem sofrer por algo que não aconteceu, nos fazendo passar por situações irreais. Qual o sentido de tudo isso? Alguém poderia me dizer?

Perigo à Vista

Nada é mais perigoso do que um homem com o ego ferido
De repente seu porto seguro vira perigo
E o gato virou leão,
Mesmo não estando com a razão

E olha que tentei me desvincular com cuidado
Mas é muito difícil quando se tem asco
Qualquer desentendimento vira uma grande ofensa
E eu penso no que manter essa relação compensa?

Ele me disse coisas que qualquer um se assustaria
Se eu pudesse até chamaria a polícia
Homem com dinheiro é perigoso
Pode te arrastar para o fundo do poço

Tenho pena da pessoa que ele é
Depois ainda diz que tem fé
Nunca conhecerá a felicidade
Espero nunca encontrá-lo pela cidade

Ainda é cedo para dizer que ficarei tranquila
Pois tenho certeza que ele fará de tudo para me ver falida
Ele sonha comigo lhe implorando ajuda
Mas prefiro virar dia e noite na labuta

Oro a Deus para que ele me esqueça
E siga com sua vida sem criar mais desavenças
Ele poderia lidar melhor com essa rejeição
Afinal ninguém é perfeito e sempre haverá imperfeição

Lamentações

 
 
Nada como um dia após o outro
Por que ontem foi um nojo
Não consigo lidar com seu jeito meloso 
Tendo que me comportar como se estivesse gostoso 
 
Ontem fiquei enojada com a sua presença
Pois mesmo no escuro de um cinema 
Você estampava a sua carência 
E eu lamentava essa situação de contínua dependência 
 
E na claridade seu olhar lascivo me constrangia 
Ahh se eu pudesse dizer tudo o que eu queria
Te pediria pra ficar longe da minha rotina 
E também te expulsaria da minha vida
 
Seu grude constante me incomoda 
Eu sei, parece que estou sendo ingrata 
Mas a verdade é que sentimento nenhum dinheiro compra 
E todo o seu recurso financeiro não me encanta 
 
E a cada presente comprado 
Os seus olhos brilhavam 
Como se meu amor tivesse sido conquistado 
Com a aquisição de um presente caro 
 
Não consigo me comportar como deveria
Qualquer outra no meu lugar te idolatraria 
Mas eu não sou como a maioria
Deveria lidar melhor com essa sinergia 
 
Suas mensagens melosas estão me enjoando 
Suas conversas repetitivas estão me cansando 
Seu comportamento possessivo está me perturbando 
E seu ciúme ridículo está me irritando 
 
E as suas mensagens de putaria? 
Essa é a vantagem da tecnologia 
Posso fingir que estou lendo o que gostaria 
Quando na verdade me causam disenteria 
 
Só hoje queria não receber uma mensagem sua 
Ter minha privacidade como se estivesse na lua 
Você deve estar me imaginando nua 
Enquanto me imagino fugindo pela rua 
 
Ontem eu lamentei tudo o que conquistei 
Por muita coisa ter sido graças a você 
Queria poder dizer que do seu dinheiro nunca precisei 
Mas seria uma grande mentira e isso não direi
 
Pra você que está lendo, parece que eu não tenho coração 
Mas a verdade é que não me orgulho dessa situação 
Ele sempre me estende a mão 
Mas é um velho acabado que não sinto tesão 
 
Eu sei que ele me quer bem
Mas isso não conquista ninguém 
Não consigo ser quem não sou 
Não gosto de me aproveitar do seu amor 
 
Mesmo saindo com outras ele não me esquece 
Acho que meu leve desprezo te apetece
Me admira como se eu fosse uma prece 
E suas manias não me descem 
 
Duas vezes por semana é muito mais do que consigo lidar 
No final do encontro já estou querendo surtar 
Meu estresse é tangível mas consigo disfarçar 
E ele nem se dá conta que não é ali que eu queria estar 
 
Às vezes me frustro por não encontrar alguém bacana 
Mas como poderia tendo que estar na sua cama?
Ele insiste em dizer que me ama 
Mesmo eu dizendo que não adianta  
 
Poderia ficar aqui até amanhã versando a minha infelicidade 
Mas também tenho dignidade 
Vou me distrair com alguma arte 
Enquanto ainda tenho certa liberdade 

Amor de Cruzeiro

Dia 1

Você me fisgou. Com seu charme, com sua beleza e sua simpatia. Quase não acreditei que pudesse estar me paquerando e arrisquei. Anotei meu telefone em um guardanapo e te entreguei discretamente, receosa pelo vácuo, mas isso não aconteceu. Você sorriu e pareceu gostar. Mais tarde, exatamente às 23:23, me enviou a sua primeira mensagem e meu coração saltou de alegria. Não deu certo de nos encontrarmos naquela mesma noite, mas você se mostrou bastante interessado e marcamos para a noite seguinte.

Dia 2

Antes do nosso encontro, nos vimos novamente no restaurante e você me fez derreter a cada troca de olhares e piscada de olhos que dispensou a mim. Como consegue ser tão charmoso e meigo? Sem contar as inúmeras visitas a minha mesa, perguntando a todo momento se estava tudo bem com a refeição escolhida. Como se tudo isso não fosse uma grande desculpa para poder interagir mais vezes comigo, sem dar pala para quem pudesse estar nos observando.

A cada conversa me fazia sentir como uma pessoa importante para você, ainda mais por ter me reconhecido após um ano. Da outra vez sequer nos falamos direito e ainda assim você me reconheceu quando me viu de novo. Isso tinha que significar alguma coisa.

Nossa primeira noite juntos foi urgente e rápida. Não houveram muitas preliminares, você sequer me chupou e sem aviso já foi pegando a camisinha. Atribuiu a pressa ao pouco tempo que tínhamos, antes que seu colega de quarto chegasse e cada minuto foi um tempo precioso para que aproveitássemos a companhia um do outro.

Não consegui chegar ao orgasmo durante a nossa primeira transa devido a afobação do momento, mas lhe avisei que ia querer de novo e no segundo tempo gozamos juntos. Foi delicioso.

Depois já fui me vestindo para ir embora como uma putinha contratada, mas não podia reclamar, estávamos fazendo algo as escondidas e não dava para ser diferente. Saí do seu quarto com aquele sorriso na cara de quem acabou de ter uma transa maravilhosa com um homem gostoso.

Dia 3

Percebi que você não era muito de trocar mensagens, apesar de ser um poço de fofura pessoalmente. Seria essa uma característica própria de homens gringos ou uma característica sua mesmo?

Na noite seguinte, novamente trocamos olhares no restaurante durante o jantar, mas você desmarcou nosso segundo encontro com a desculpa do dia ter sido puxado e estar muito cansado. Algo que considerei ser apenas uma desculpa para se afastar, uma vez que já tinha conseguido o que queria.

Dia 4

Eu estava blindada e não nutri nenhuma expectativa de um remember com você. – Estou acostumada com caras que perdem o interesse após a primeira transa. – Porém, no quarto dia a bordo, sem querer topei com você no restaurante durante o almoço (achei que você só trabalhasse durante os jantares), tiramos fotos juntos e você pareceu continuar interessado, me fazendo acreditar que talvez a desculpa da canseira fosse então verdade, uma vez que você tinha trabalhado na noite anterior e estava trabalhando na manhã seguinte também. Aprecio homens que falam a verdade.

Nesse mesmo dia durante o jantar, você estava fazendo de tudo um pouco, de tão movimentado que estava aquele restaurante. E antes que viesse um novo cancelamento da sua parte, me antecipei e lhe instiguei com a possibilidade de uma massagem, por você estar trabalhando tanto. Você se empolgou e confirmou nosso encontro.

Minutos depois, já na sua cabine, novamente transamos sem uma preliminar decente e não consegui chegar ao orgasmo junto com você, apesar de estar extremamente excitada. Continuei sozinha enquanto você se lavava e quando retornou eu já tinha terminado. Lhe massagear foi um tanto engraçado. Eu querendo ser sensual no toque e você me pedindo para apertar cada vez mais forte e até mesmo usar meus cotovelos. Suei lhe massageando rs.

Dia 5

Novamente você não me enviou uma mensagem sequer depois de eu deixar o seu quarto e durante a tarde, resolvi lhe mandar eu, para quebrar o silêncio depois de uma noite tão satisfatória como aquela. Lhe enviei duas fotos minhas que tirei durante a viagem, seguida da legenda: “para não se esquecer de mim” e você respondeu bastante empolgado, três horas depois, quando enfim ficou com internet e as imagens foram entregues.

Outra vez trocamos muitos olhares durante o jantar, mas não transamos após, pois mais uma vez o seu trabalho não contribuiu e você precisou ficar até mais tarde. Dessa vez não achei que fosse mentira e não só pelo fato de você ter me enviado uma foto sua ainda no restaurante, mas porque era o nosso quinto dia ficando juntos e já estava adquirindo mais confiança em você.

Mais tarde você ainda me enviou uma foto da sua TV passando um filme, mostrando o que estava fazendo e ainda falou sobre nos vermos fora do navio no dia seguinte, quando ele parasse no porto de Balneário. Adorei a sua iniciativa. Estávamos ficando cada vez mais íntimos.

Dia 6

Após lhe deixar por uma hora a minha espera na areia daquela Praia Central na Av. Atlântica, sentado em uma cadeira de praia debaixo de um guarda sol, ao me ver, você me recebeu com um lindo sorriso. Cheguei toda esbaforida pelo atraso e fiquei ainda mais atônita com a sua beleza. Tive uma visão do seu corpo que antes não era possível com a proximidade dos ângulos na penumbra daquele quarto. Aquele sol plenamente luminoso e escaldante, me revelou um homem ainda mais interessante, fazendo com que eu ficasse completamente deslumbrada por você. “Ahh meu Deus, será que estou lhe causando a mesma boa impressão?” Eu pensava, toda vez que lhe flagrava fitando o meu corpo também.

Entramos juntos no mar e me surpreendi com a deliciosa temperatura daquela água aquecida quando tocaste os meus pés. E a medida que adentrávamos nela, ficava cada vez mais difícil para mim manter a pose, pois, sempre que a onda chegava ao meu encontro, me empurrava para o lado contrário como se eu fosse uma inimiga. Entre um mergulho e outro você me agarrou para um beijo, já levando a minha mão para a sua parte íntima, enquanto as suas mãos faziam o mesmo comigo. Foi uma delícia ser tarada por você daquele jeito. Que mulher não gostaria de ser desejada por um homem como você? Só não transamos ali mesmo por não ter como usarmos um preservativo.

Foi divertido. Você demonstrou ser também uma pessoa engraçada. Rimos, brincamos e tive aquela deliciosa sensação de estar na presença de um amigo. Enfim voltamos para a areia e lá ficamos deitados (eu com a cabeça em cima da sua barriga), relaxando na sombra, curtindo aquela maresia. De vez em quando você passava areia no meu corpo e minha pele vibrava com o toque da sua mão. E quando o silêncio surgia, eu me esforçava para que desaparecesse, lhe perguntando algo que fosse considerado uma dúvida comum entre duas pessoas que mal se conheciam. De repente você tomou a iniciativa de tirar uma foto nossa juntos. O que achei lindo.

Eu deveria culpar Balneário do Camboriú por fazer aflorar em mim sentimentos que antes eu estava contendo? Não fizemos nada demais e ao mesmo tempo foi como se tivéssemos feito tudo. Ficar com você ali, num contexto que não fosse apenas sexual, foi de um romantismo sem igual. Depois ainda fomos para o outro lado da rua tomar um açaí (algo que você me revelou que adora) num lugar chamado Santo Açaí e lá ficamos mais uns bons minutos.

Durante esse tempo pude perceber mais coisas em você. Percebi que além de um belo corpo, seus lábios e olhos também são lindos. Seus olhos, que antes pareciam apenas castanhos, contra a luz do dia se revelaram cor de mel levemente esverdeados nas laterais. E seus lábios eram bem desenhados e carnudos, emoldurando o seu lindo rosto. Sem contar o seu sotaque falando em português com o atendente. “Murango”. Você falava de um jeito que aos meus ouvidos soava totalmente sexy e irresistível. É… definitivamente o primeiro gringo a gente nunca esquece.

De lá tivemos que voltar para o navio, que o horário do seu turno se aproximava. Nos separamos discretamente, não sem antes você me dar um singelo selinho. Foi muito gostoso sentir que era a sua namoradinha. Voltei para a minha cabine com a cabeça nas nuvens. Tinha sido a tarde na praia mais romântica que já tive. Estava ficando cada vez mais envolvida por ti e sentia que era recíproco, apesar de você continuar com esse jeito frio de não me enviar nenhuma mensagem depois que eu partia.

Antes do horário do jantar, fui para o SPA do navio, onde fiquei o tempo inteiro pensando em você, em como seria bom se você pudesse estar ali curtindo comigo. Aqueles jatos direcionados da piscina, que mais parecia com uma hidromassagem gigante, involuntariamente me deixaram extremamente excitada e me segurei para não lhe enviar uma mensagem dizendo putaria, uma vez que você estaria trabalhando e talvez não lesse com a mesma sintonia. Achei mais seguro ir para o banheiro me masturbar pensando em você, o que me satisfaria por hora e evitaria que eu cometesse alguma gafe lhe mandando uma frase inescrupulosa.

À noite, durante o jantar, novamente trocamos muitos olhares e sempre que você podia vinha até a minha mesa falar comigo. Estava ficando viciada nessa rotina. Antes que eu deixasse o restaurante, você ainda teve a gentileza de me dar uma garrafa de vinho, que eu tinha te perguntado na noite anterior como eu fazia para comprá-la. A sua atitude me tocou e também quis lhe dar um presente.

Após muito pensar, resolvi lhe comprar um perfume, para que toda vez que o usasse lembrasse de mim. Mas como presentear alguém que não conhecemos os seus gostos muito bem não é uma tarefa fácil, pedi ajuda da vendedora pelo perfume masculino mais vendido e ela me mostrou um chamado:“The Secret” do Antonio Banderas. Adorei a fragrância, além do nome ser muito sugestivo. O que estávamos vivendo realmente eram um segredo e eu adoraria sentir aquele cheiro no seu corpo se pudesse.

Quando cheguei na sua cabine, você ficou um tanto constrangido com o presente (sem nem saber o que era, pois sequer pegou a sacola da minha mão) e tive que insistir para que aceitasse. Confesso que lá no fundo eu também achei um pouco precipitado da minha parte, lhe presentear assim sendo que estávamos ficando há pouco tempo, mas nossos dias estavam contados e eu não podia me prender a scripts. Coloquei a sacola ao lado da sua cama e deixei para que abrisse depois (jamais levaria o presente de volta comigo) e começamos a nossa noite. Nossas transas eram sempre iguais, sem muitas novidades, mas dessa vez havia um tempero a mais: os meus sentimentos. Eu te olhava de um jeito diferente, fantasiando que rolava algo a mais entre nós. Novamente não gozei, mas já tinha feito em sua homenagem durante a tarde e estava satisfeita. Estar com você já era o suficiente.

Depois que transamos, conversamos bastante e você se interessou pelo presente. Aparentemente acertei na fragrância, você agradeceu bastante e aproveitei o seu sorriso para lhe perguntar algo que me deixou encucada desde a nossa tarde na praia. Em certo momento quando peguei seu celular para tirar uma foto sua quando me pedistes, me deparei com a foto de uma criança no fundo de tela e meu alarme interno disparou. Você já havia me dito desde a nossa primeira noite juntos que não era casado, nem tinha filhos, mas aquela foto poderia ser a prova de uma mentira. Lhe perguntei então quem era aquela garotinha e você na maior boa vontade destravou o celular, abriu o álbum de fotos da família e me apresentou cada membro dela. Inclusive essa sua sobrinha de 7 aninhos. Foi um momento tão mágico, você ali me mostrando a sua família, mesmo que por foto, pareceu que um dia eu poderia fazer parte dela. Logo mais seu colega de quarto chegou e tive que partir abruptamente.

Dia 7

Nossa última noite juntos. Será que manteríamos contato depois que eu partisse? Seus olhos me davam indícios que sim e acreditei neles. Senti uma atmosfera diferente quando entrei no seu quarto, como se eu também tivesse te conquistado ao longo desses dias. Nossa última transa foi bastante intensa. Nos olhávamos nos olhos, como se ambos lamentassem o fim. Lhe convidei para me visitar quando terminasse a sua temporada a bordo, você sorriu para o meu convite e também disse que me enviaria uma mensagem quando estivesse no porto de Santos novamente, para que pudéssemos nos encontrar e passarmos outra tarde maravilhosa na praia.

Lhe dei de presente uma das fotos que tirei e comprei a bordo, com direito a uma dedicatória atrás, que escrevi na mesma hora, com você sentado na minha frente. Nela eu dizia que esses dias haviam sido incríveis e que mesmo que não nos víssemos mais a partir dali, guardaria a lembrança daqueles momentos com muito carinho. Também te pedi que fizesse o mesmo. E se decidisse aceitar o meu convite, ele permaneceria de pé, pois adoraria te apresentar São Paulo algum dia. Preferia que você lesse só depois, mas você quis ler na minha frente e fui recompensada com seu belo sorriso e um beijo de agradecimento. Seu colega chegou quando eu ainda estava nua e saltitei para debaixo das suas cobertas. Você riu rs. Daí pediu ao seu amigo por mais 5 minutos e ficamos de love mais um pouquinho. Demos um abraço bem apertado antes que eu saísse e me pediu que na manhã seguinte passasse no restaurante para me despedir de você.

Desta vez não saí do seu quarto com um sorriso no rosto. Na verdade, as lágrimas tomaram conta de mim sem que eu pudesse controlar. Tudo tinha sido tão lindo, incrível e mágico, mas com data de validade. Foi uma ilusão achar que poderíamos manter algo depois dali. O seu jeito de não me mandar mensagens depois dos nossos encontros não mudou e sem as nossas noites fiquei com apenas o seu silêncio. Confesso que foi um pouco difícil no começo, mas a cada manhã o conformismo ganhava mais espaço dentro de mim. Eu até poderia dizer que tudo que é bom dura pouco, mas, na verdade, dura o tempo necessário para se tornar inesquecível.